Tudo sobre PISO INDUSTRIAL

Veja esses 5 erros no caimento do piso e saiba como evitá-los!

Tipos de piso industrial

Ao instalar um piso industrial, erros técnicos podem comprometer a funcionalidade, a resistência e a estética do projeto. Por isso, alguns cuidados são essenciais para garantir a boa instalação e o caimento do piso. Além das ferramentas adequadas, o profissional responsável pela execução deve ter conhecimento dos tipos de pavimento e dos materiais de revestimento.

Também é importante analisar qual o uso da área em que o piso será instalado. Como se trata de um projeto industrial, com pisos de alta resistência, é necessário utilizar materiais que suportem cargas mais elevadas, como maquinários ou áreas de armazenamento. Também é importante que o piso seja estável, resistente a impactos e abrasões e com o caimento correto.

Ficou interessado em saber mais sobre o tema e entender como escolher os materiais e equipamentos adequados para uma boa instalação? Então, continue a leitura de nosso artigo!

Quais são os principais erros relacionados ao caimento do piso?

Como explicamos, para a boa execução do projeto, é preciso analisar qual será o uso da área a ser pavimentada. Existem diferenças, por exemplo, entre áreas secas e locais que poderão ser molhados, seja para limpeza, seja por serem abertos. Nesse caso, o caimento adequado deve fazer com que a água escoe para os ralos existentes.

Para evitar problemas, é essencial que o assentamento do piso seja feito de maneira correta, observando as características do contrapiso e os materiais utilizados. Os erros mais comuns no caimento do piso são:

  • contrapiso sem o nivelamento correto;
  • erros de cálculo;
  • problemas com a aderência ou consistência da argamassa;
  • presença de umidade no contrapiso;
  • falta de limpeza após o assentamento do piso;
  • uso de equipamentos inadequados.

Como garantir o bom caimento do piso?

Agora que você já entendeu quais são os principais problemas relacionados ao assentamento de pisos e a importância de analisar com cuidado o projeto, os materiais utilizados e a estrutura da edificação, confira nossas dicas para garantir o caimento adequado.

1. Utilize um nivelador de pisos

A falta de nivelamento dos pisos pode causar desníveis que comprometem a funcionalidade e a estética do projeto. Se houver necessidade de escoamento de água, é essencial que o caimento seja executado de forma constante e suave. Ele deve ficar entre 0,5% e 2,5%, dependendo da necessidade dos usuários.

Por isso, é importante conferir o projeto apresentado e utilizar o nivelador para que o caimento não apresente desníveis. Além do desconforto e problemas de circulação, um caimento feito de maneira inadequada pode comprometer o funcionamento de máquinas que serão instaladas no local ou dificultar a limpeza.

Além disso, os desníveis podem levar ao assentamento incorreto das placas e falhas nos rejuntes. Quando for necessária uma camada de regularização ou enchimento para nivelar o caimento, observe que é preciso obedecer a um intervalo de cura antes do assentamento do piso.

2. Observe a estrutura a ser revestida

A superfície deve estar limpa, sem umidade, fissuras ou rachaduras. Pode ser necessária uma limpeza prévia para retirar pó, materiais soltos e outras substâncias.

Rachaduras e fissuras podem ser resultado de pequenas movimentações sofridas pela edificação em função de variações de temperatura e umidade. Se o piso for instalado em uma área com tais problemas, o risco é de que também desenvolvam trincas e rachaduras, comprometendo a estética e funcionalidade do ambiente.

Se estiver previsto no projeto, após a limpeza, deve ser feita a impermeabilização do piso, adotando precauções extras com áreas de ralos, escadas e região em que o revestimento encosta na parede, pois nesses locais os problemas de infiltração são mais comuns.

3. Escolha e prepare a argamassa de forma correta

A argamassa precisa apresentar a aderência correta para o tipo de piso escolhido. Para isso, é importante consultar as orientações do fabricante do piso e fazer a mistura correta. O ideal é utilizar um misturador mecânico, adicionando água até que a mistura fique homogênea.

Vale destacar que existem vários tipos de argamassa, inclusive anticorrosivas, indicadas para locais nos quais há risco de contato com produtos químicos. Porém, é importante destacar que a argamassa não corrige irregularidades do piso.

Caso você não utilize uma argamassa pronta, é possível prepará-la com cimento, areia e água. A proporção correta costuma ser uma parte de cimento para três de areia, mas isso depende muito do tipo de piso que será assentado e da estrutura da edificação. Além dos cuidados com a argamassa, a escolha do rejunte em áreas industriais também deve atender a alguns critérios:

  • tipo de produto que poderá ter contato com o revestimento e sua concentração;
  • temperatura dessas substâncias (caso seja elevada, é preciso escolher uma argamassa que suporte altas temperaturas);
  • sobrecarga mecânica que deverá incidir sobre o piso depois de instalado;
  • movimentação no local.

4. Faça o cálculo de modo adequado

Para evitar falhas, é fundamental calcular de forma adequada a quantidade de placas e materiais necessários, acrescentando uma margem extra, que varia entre 10% e 15%. Mesmo com o cálculo exato, essa quantidade a mais é necessária, pois podem ocorrer perdas durante a instalação, corte ou armazenamento.

5. Use equipamentos adequados

A falta de equipamentos e o improviso podem comprometer o resultado da instalação. Assim, além dos niveladores de piso e misturadores de argamassa que já citamos, é fundamental contar com outros dispositivos que contribuem para que a aplicação seja a melhor possível, como cortadores de piso, alisadoras e desempenadeiras, entre outros.

Qual a importância de utilizar as ferramentas certas?

Com o uso de equipamentos adequados, a instalação é feita de modo correto e o trabalho é mais ágil, o que resulta em maior satisfação do cliente. Isso se reflete na boa imagem do profissional, que passa a ser visto pelo mercado como mais qualificado e experiente.

Além de aumentar a produtividade do profissional, o uso das ferramentas certas evita o retrabalho decorrente de falhas e contribui para que o resultado do assentamento seja adequado à edificação. Isso é um detalhe de extrema importância, ainda mais nas pavimentações industriais, quando o correto caimento do piso determina a sua resistência, durabilidade e funcionalidade.

Gostou de nossas dicas? Então, siga nosso perfil nas redes sociais e não perca mais nenhuma novidade! Estamos no Facebook, no Twitter e também no LinkedIn.

Assine nossa newsletter e receba conteúdo exclusivo sobre PISO INDUSTRIAL

Related Posts